Português descobre circuito cerebral que prioriza acasalamento ao sono   16 de Abril de 2018 / 07:43
Um estudo da Universidade do Minho revelou que, na hora de escolher, as moscas-da-fruta preferem acasalar em vez de descansar. Esta decisão deve-se a um circuito neuronal agora identificado pelo cientista Daniel Machado que intensifica a vontade de acasalamento, secundarizando uma das principais necessidades vitais - dormir. A investigação foi desenvolvida em parceria com a Universidade Thomas Jefferson, nos EUA. O trabalho baseou-se na mosca-da-fruta (Drosophila melanogaster), que tem sido um importante modelo para perceber o funcionamento básico do cérebro humano. “As principais características do sono também estão conservadas neste animal”, explica o cientista do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da UMinho.

O sono é incompatível com qualquer outro comportamento, podendo ser modulado por diferentes estados motivacionais, quer por necessidade vital, como comer, quer por interesse pessoal, como ir ao cinema. Perante estes dilemas, cabe ao cérebro coordenar o “conflito” entre a “vontade de dormir” e outros comportamentos essenciais ou relevantes.

No seu estudo, Daniel Machado focou-se no “conflito” entre o sono e o acasalamento em moscas-da-fruta, algo que também pode ser observado em seres humanos. O trabalho mostra pela primeira vez que o cérebro da mosca macho ativa “amplificadores” neuronais que priorizam o acasalamento. “Os circuitos cerebrais que coordenam o seu comportamento sexual despertam neurónios que intensificam a importância de acasalar. Este reforço do sinal sexual permite a supressão momentânea da necessidade de dormir, mantendo o macho desperto para cortejar a fêmea”, esclarece o investigador.

Desta descoberta surgiu um modelo inovador que se baseia na amplificação de estímulos para “ajudar” o animal a decidir em situações de conflito entre motivações incompatíveis. No futuro pode contribuir para conceber terapias capazes de atenuar doenças em que diferentes estados motivacionais podem estar descoordenados, como dependência a drogas ou álcool, ansiedade, depressão e distúrbios do sono. Ou simplesmente ajudar a perceber o que motiva as pessoas a abdicarem de dormir a favor de outras atividades. Os contributos da investigação baseada na Drosophila já foram reconhecidos com vários prémios Nobel, incluindo o da Medicina 2017, atribuído aos americanos Michael Young, Michael Rosbash e Jeffrey Hall.

Redacção
oamarense@gmail.com

Outras notícias da categoria nacional:

. Rui L. Reis recebeu em Londres um dos maiores prémios internacionais de Engenharia
. Professora da UMinho coordena Observatório das Comunidades Ciganas
. UMinho quer tornar as cidades “mais amigas” dos peões
. Resultados da autonomia curricular de 230 escolas apresentados na UMinho
. Têxteis Penedo espera gerar um milhão de euros por ano com tecidos que integram sistemas de iluminação
. Professor da UMinho premiado em Espanha
. CEB vai aumentar a eficácia e reduzir os efeitos secundários do fármaco para a artrite reumatoide
. Fundo Social de Emergência da UMinho apresentado no World Economic Forum
. Espetáculos e Oficinas de Férias brindam os mais novos com a energia criativa da música, do canto tradicional, da poesia e da expressão plástica, em Guimarães
. Aluna da UMinho premiada pela Associação Portuguesa de Tradutores e Intérpretes
. Portugueses na descoberta de mecanismo que pode combater fungo mortal
. Universidade do Minho tem o curso mais procurado do país
. UMinho com inscrições abertas para as provas dos maiores de 23 anos
. Biblioteca Pública de Braga evoca António José Saraiva
. José González-Méijome distinguido com Prémio de Mérito Científico da UMinho
. Joana Marques Vidal na UMinho para palestra sobre o Ministério Público em Portugal
. Fantasporto exibe 11 filmes de alunos da UMinho
. Sentença de Sócrates é conhecida a 23 e 24 de Fevereiro em Guimarães pela mão de Mickaël de Oliveira
. Software de spin-off da UMinho gere acervo de Siza Vieira
. UMinho é a mais ativa da Europa em desporto universitário
. UMinho propõe terapia capaz de controlar cancro do colo do útero
. Portugueses reescrevem a história genética da Índia
. João Pedro Vaz será o novo Diretor Artístico da “A Oficina”
. Competências transversais são as mais valorizadas no mercado de trabalho
. Centro de Computação Gráfica está a definir os padrões da condução do futuro
. UMinho quer alavancar bioeconomia do país
. Estudo pioneiro sobre tablets junta universidades do Minho e Harvard e a Microsoft
. BabeliUM da UMinho promove cursos para dez línguas estrangeiras
. UMinho estreia em Portugal exames de Chinês para os mais novos



Voltar
 
O Amarense
PUB
O Amarense (c) 2017 | Todos os Direitos Reservados