Mulheres ganham menos 24% do que os homens, conclui estudo da UMinho   18 de Setembro de 2017 / 10:09
As mulheres ganham menos 24% do que os homens com a mesma idade e escolaridade, conclui um estudo da Universidade do Minho com 190 mil trabalhadores de mais de 1500 empresas privadas do país. “Grande parte desta discriminação reside no acesso à profissão e ao tipo de empresa. Os homens tendem a trabalhar para as entidades que pagam melhor”, salientam os autores Windy Noro, Luís Aguiar-Conraria e Miguel Portela. Os resultados, que cruzam bases de dados fornecidas pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, revelam ainda que 65 a 70% das mulheres estão nas profissões mais mal pagas. Verificou-se também que a diferença salarial entre homens e mulheres é “diminuta” quando se aufere próximo do salário mínimo nacional, atingindo a diferença máxima em empregos com ordenados a rondarem os 800 a 1000 euros. A desigualdade salarial entre sexos atinge os 5% nas funções pagas entre os 1000 e 2000 euros por mês, voltando a crescer a partir daí. “O aumento da disparidade em salários elevados pode estar relacionado com o facto de as mulheres terem maior dificuldade em ocupar lugares de topo nas empresas. Em Portugal, só 12% chega a cargos de chefia”, contextualiza a mestranda Windy Noro.

Os dados mostram igualmente que os cursos de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM) são os que dão acesso às posições mais bem pagas e que proporcionam menor desigualdade no mercado de trabalho. “Talvez porque estes profissionais têm uma produtividade mais fácil de medir e melhores alternativas de emprego”, lança Luís Aguiar-Conraria, docente da Escola de Economia e Gestão da UMinho. Embora as mulheres constituam 60% do meio universitário português, apenas três em cada dez opta por formações STEM. “Existe um problema de mentalidade na seleção do curso, quer por parte das famílias, quer por parte dos jovens. Ainda há muitos pais a pressionarem as filhas para escolherem áreas ditas femininas. É preciso mudar rapidamente esta mentalidade”, realça o colega Miguel Portela.

Empresas “devem ser obrigadas” a divulgar salários de todos

Para reduzir a desigualdade salarial entre colegas de sexo diferente, os autores defendem várias estratégias, nomeadamente “obrigar” as empresas privadas a divulgar todos os salários, levando os funcionários a exigirem igualdade em caso de injustiça. Estabelecer licenças de parentalidade obrigatórias de três meses para a mãe e o pai é outra das sugestões apontadas. “Queremos que a mulher se emancipe em termos profissionais, mas para isso é importante exigir também que o homem se emancipe na vida familiar”, conclui Luís Aguiar-Conraria.

O estudo incidiu numa amostra de 190 mil trabalhadores (52% homens e 48% mulheres) de 164 profissões, com um rendimento médio de 1292 euros. Os salários foram dos 485 aos 19.575 euros por mês e a idade variou entre os 25 e os 60 anos.

Redacção

Outras notícias da categoria nacional:

. Christopher Paul Stelling, hoje, no Theatro Circo num concerto único em Portugal 17 de Outubro de 2017 / 10:03
. Nova aplicação permite enviar sugestões aos autarcas 13 de Outubro de 2017 / 09:47
. “Do Bosque para o Mundo” explica às crianças a crise dos refugiados 12 de Outubro de 2017 / 08:52
. Guimarães na Europa das artes com novos projetos ligados ao Westway Lab, Novo Circo e CIAJG 10 de Outubro de 2017 / 09:02
. Air Play - Estreia e exclusivo nacional de um dos mais inovadores espetáculos de circo em Braga 9 de Outubro de 2017 / 08:59
. Orquestra Sinfónica Portuguesa toca, hoje, no Theatro Circo 6 de Outubro de 2017 / 08:52
. UMinho aprofunda relações com a Essilor 5 de Outubro de 2017 / 09:40
. Miguel Moreira e Romeu Runa apresentam “Operários” no palco que os viu crescer 29 de Setembro de 2017 / 10:06
. Candidaturas de acesso à UMinho para maiores de 23 anos já a decorrer 29 de Setembro de 2017 / 10:05
. Estudo sobre economia paralela dá prémio a investigadora da UMinho 26 de Setembro de 2017 / 09:52
. Festival de Outono da UMinho mostra a cultura em Braga, Guimarães e Monção 25 de Setembro de 2017 / 10:12
. Cientistas da UMinho abrem portas para a eletrónica do futuro 25 de Setembro de 2017 / 10:10
. Fibrenamics da UMinho reconhecida pela Comissão Europeia 19 de Setembro de 2017 / 09:33
. Cérebro de doentes obsessivos mantém conetividade atípica mesmo em repouso 18 de Setembro de 2017 / 10:08
. Música contemporânea cubana em Braga pela voz de La Dame Blanche, amanhã, dia 25 de Agosto 24 de Agosto de 2017 / 08:42
. Português lança primeiro livro sobre a economia da Fórmula 1 22 de Agosto de 2017 / 08:26
. UMinho lança seminário sobre maus-tratos a pessoas idosas 21 de Agosto de 2017 / 08:49
. UMinho promove encontro de antigos estudantes 16 de Agosto de 2017 / 08:49
. UMinho coordena projeto europeu de valorização de resíduos orgânicos 14 de Agosto de 2017 / 11:38
. Portugal fez a sua melhor classificação no maior concurso de chinês 9 de Agosto de 2017 / 08:40
. Associação Mundial de Investigação em Fibras Naturais nasce na UMinho 9 de Agosto de 2017 / 08:38
. Biblioteca Pública de Braga evoca Padre António Vieira 7 de Agosto de 2017 / 09:41
. Discursos presidenciais estão menos paternalistas 7 de Agosto de 2017 / 09:40
. Investigador da UMinho vence prémio europeu de cuidados paliativos 4 de Agosto de 2017 / 09:29
. Prémios Município do Ano entregues a 27 de julho no Fundão 24 de Julho de 2017 / 10:55
. Prémio Príncipe da Beira com candidaturas abertas 18 de Julho de 2017 / 10:49
. Futuros médicos da UMinho apoiam idosos isolados de Vila Nova de Cerveira 14 de Julho de 2017 / 08:43
. Prémio europeu atribuído a cientista da UMinho 14 de Julho de 2017 / 08:40
. UMinho no top 100 mundial em três áreas do Ranking de Xangai 13 de Julho de 2017 / 08:43



« Voltar
 
 
 
O Amarense
PUB
O Amarense (c) 2017 | Todos os Direitos Reservados